MAT√ČRIAS
14.03.2013
Sustentabilidade ganha cada vez mais atençãoo
 Um dos motivos para a eleva√ß√£o do pre√ßo do metro quadrado em Fortaleza, nos √ļltimos anos, a preocupa√ß√£o com as quest√Ķes ambientais tem conquistado aten√ß√£o por parte das construtoras e daqueles que se preparam para comprar im√≥vel. Apesar de encarecer projetos e demandar mais investimentos das empresas, iniciativas como a ado√ß√£o de fontes alternativas de energia e equipamentos que reduzem o consumo de √°gua t√™m se tornado cada vez mais comuns.

Outra iniciativa que pode ser adotada pelos construtores √© a utiliza√ß√£o de materiais reciclados, brita, concreto e tijolo ecol√≥gico FOTO CAPA: F√ĀBIO LIMA

Conforme o professor do departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal do Cear√° (UFC) e consultor do Sindicato das Ind√ļstrias da Constru√ß√£o Civil (Sinduscon), Eduardo Cabral, um dos motivos para a quest√£o da sustentabilidade estar atrelada ao momento atual do da constru√ß√£o civil √© o pr√≥prio perfil do setor, o qual, al√©m de demandar muita mat√©ria prima, emite uma quantidade consider√°vel de g√°s carb√īnico. A tentativa de promover a√ß√Ķes e m√©todos sustent√°veis, explica, tem in√≠cio ainda na fase de projeto, estando presente durante a constru√ß√£o em si e no decorrer da utiliza√ß√£o do im√≥vel j√° finalizado, envolvendo desde os materiais que ser√£o usados na obra a aspectos ligados √† luminosidade e √† temperatura no interior do im√≥vel.

Métodos e equipamentos

Entre os equipamentos atualmente mais utilizados para possibilitar a redu√ß√£o dos danos ao meio ambiente, Eduardo Cabral cita as l√Ęmpadas LED, chuveiros e vasos sanit√°rios que reduzem o consumo de √°gua, elevadores que precisam de menos energia e tintas a base de √°gua.

Há ainda, acrescenta, imóveis que possuem aerogeradores para fazer uso da energia eólica.

De acordo com o consultor, o uso de equipamentos desse tipo acaba encarecendo, entre 6% e 10%, o custo do metro quadrado construído dos imóveis.

Contudo, ressalta o especialista, os edifícios que adotam esse tipo de tecnologia possuem um "apelo maior" junto ao consumidor, podendo ser vendidos a um preço mais alto.

Consumidor mais atento

"Existem pesquisas que dizem que as pessoas est√£o mais aptas a comprar um apartamento mais sustent√°vel. Isso porque esse apartamento mais caro, ao longo do tempo, se torna mais barato. O morador sabe que vai ter uma conta menor de luz e de √°gua, que vai ter um ambiente que n√£o vai precisar ficar usando sempre ar condicionado, por exemplo", justifica Cabral.

Reciclagem

Conforme disse, outra iniciativa que pode ser adotada pelos construtores é a utilização de materiais reciclados.

Atualmente, Fortaleza conta com uma √ļnica usina de reciclagem de res√≠duos da constru√ß√£o civil. Criada em 1997, a Usina de Reciclagem de Fortaleza (Usifort) possui capacidade para receber at√© 300 toneladas de res√≠duo por hora.

Entre os materiais reciclados pela usina, est√£o a brita, concreto e tijolo ecol√≥gico. Por enquanto, afirma o presidente da Usifort, Marcos Kaiser, o poder p√ļblico √© o principal comprador do material da usina, adquirindo sobretudo itens necess√°rios a obras de pavimenta√ß√£o.

Entre as edifica√ß√Ķes feitas a partir do material reciclado, Marcos Kaiser cita a constru√ß√£o do Conjunto Anita Garibaldi, em 2006, no bairro Jacarecanga. Com 20 unidades, o conjunto habitacional foi constru√≠do com tijolos ecol√≥gicos. O uso desse material, frisa, propiciou uma economia de 30% √† obra.

Kaiser tamb√©m informa que est√° dialogando com a Prefeitura de Fortaleza a possibilidade de firmar uma Parceria P√ļblico-Privada, atrav√©s da qual o Munic√≠pio cederia um terreno de aproximadamente cinco hectares e a usina participaria com seu equipamento e know-how. (JM)

Custo

6% a 10% é quanto pode encarecer o metro quadrado com o uso de equipamentos que possibilitam a redução de danos ao meio ambiente

Resíduos: falta destinação correta

Apesar de as construtoras de Fortaleza estarem investindo mais em tecnologias sustentáveis, a destinação inadequada dos resíduos gerados nas obras é ainda um dos problemas ambientais visíveis na Capital. Mesmo com a existência de uma legislação ambiental exigindo o despejo de entulhos em usinas de reciclagem ou pontos em que o material seja tratado de forma adequada, muitas empresas da Capital, na tentativa de evitar perdas, recorrem a aterros clandestinos.



Custo de encaminhar os resíduos para um local adequado é o principal motivo que leva as empresas a despejarem os entulhos de forma ilegal FOTO: KELLY FREITAS

Para o professor do departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal do Ceará (UFC) Eduardo Cabral, o custo de encaminhar os resíduos para um local adequado é o principal motivo que leva as empresas de Fortaleza a despejar os entulhos de forma ilegal.

De acordo com o presidente da Usifort - √ļnica usina de reciclagem que recebe esse tipo de material na cidade -, Marcos Kaiser, √© cobrado, para cada metro c√ļbico de entulho que chega √† unidade, uma taxa m√≠nima de R$ 3,00. Conforme Kaiser, a procura pela usina tem aumentado nos √ļltimos anos, mas ainda est√° longe do ideal.

Uma iniciativa que poderia amenizar a situa√ß√£o, afirma Cabral, seria a cria√ß√£o de uma usina de reciclagem p√ļblica, que n√£o cobrasse para receber o material. Ele destaca ainda a necessidade de se ampliar a fiscaliza√ß√£o do Munic√≠pio para evitar esse tipo de pr√°tica.

De acordo com a Secretaria de Urbanismo e Meio Ambiente de Fortaleza (Seuma), de janeiro de 2005 a julho de 2012, foram lavrados 930 autos de constata√ß√£o contra construtoras que despejaram entulhos de maneira inadequada. Neste ano, apenas uma empresa foi autuada, por despejar material proveniente de escava√ß√£o em um terreno localizado na √°rea do Coc√≥. Conforme a assessoria de comunica√ß√£o da Seuma, as fiscaliza√ß√Ķes s√£o realizadas a partir de den√ļncias recebidas pelo √≥rg√£o.

√Č poss√≠vel denunciar a pr√°tica atrav√©s do servi√ßo de ouvidoria, no telefone 3452.6923, em hor√°rio comercial. (JM) 
Fonte: Jornal Diario do Nordeste
 http://diariodonordeste.globo.com/materia.asp?codigo=1240558